top of page
Buscar
  • Foto do escritorTiago Bertalot

Boatschooling Primeiras Impressões

Atualizado: 23 de jan. de 2022

A questão principal: "O boatschooling é para todos? Bem, não gostamos de colocar as pessoas em caixinhas e encontrar uma fórmula mágica que se adapte a todos. Boatschooling tem desafios enormes e muita frustração, mas também tem suas alegrias que são muito recompensadoras. Poder ajudar em primeira mão cada um de seus filhos é uma sensação incrível, ver bons resultados nas avaliações e se sentir parte de tudo isso é memorável.



Somos novos nisso e essas são nossas primeiras impressões, para iniciar, um pouco de como tudo isso começou: devido ao COVID, as crianças foram obrigadas a fazer homeschooling, isso ainda antes de mudarmos para o barco. Nessa fase já aprendemos muito sobre como funciona o homeschooling e agora com o boatschooling conseguimos entender que há muitas diferenças, tentarei esclarecer o máximo que puder para ajudar na decisão de quem quer pular na vida a bordo:


1. Movimento:

O barco se balança e se move o tempo todo, e esse movimento pode causar desde distração até tontura. Descobrimos que, mesmo em marinas, há algum tipo de balanço que distrai tornando super desafiador para crianças pequenas manter a concentração. Por vezes simplesmente temos que deixar tudo para outro dia!


2. Ruídos:

O barco também faz barulho, desde a bomba d'água doce que liga a cada abertura de torneira até cabos rangendo por todos os lados. Ancorados a corrente quando vai sendo puxada pela ação do vento faz um estalo que não pára nunca. Manter a atenção é muito improvável, mesmo para você como tutor, imagine para os pequenos!


2. Recursos:

Os recursos variam muito de lugar para lugar, uma impressora para o barco levou semanas para ser encontrada, alguns livros quadriculados de matemática também. Esteja preparado para improvisar. Tivemos alguns experimentos científicos que precisavam de flores, mas onde estávamos havia apenas rochas e mar e tivemos que desenhar uma flor para dar continuidade. Flexibilidade é fundamental pois as vezes aquela flor que você precisa está a milhas de distância.


3. Internet

Sim, estamos em 2021 e ainda lutando para ter um sinal de Internet minimamente utilizável, nesse caso, aplausos para a Croácia, enquanto estávamos lá o cartão SIM de 100GB era barato e a internet era super rápida, funcionando nas baias mais longíquas. Aqui na Itália estamos com um dos piores serviços até agora, mesmo dentro da cidade a internet nunca é confiável e um simples YouTube pode demorar para ser assistido.


4. Imprevisibilidade

Mesmo que você tenha a melhor previsão do tempo a natureza vem e muda tudo; o barco por mais em dia que esteja, quebra ou a comida acaba bem na hora errada então ser flexível (de novo) é obrigatório. Estávamos nesta bela baía perto de Split planejando nossa aula de inglês quando a polícia veio e disse para nos afastarmos, a manobra levou mais de 2 horas e ao final estávamos exaustos e a aula ficou para depois. Não apenas o clima muda, mas as coisas estão sempre acontecendo ao seu redor e você não terá controle de tudo.



5. Esteja preparado para os dias ensolarados

Está ensolarado, bonito e estável lá fora com verão se aproximando: você terá que tomar uma decisão: ir à praia ou passar 4 horas dentro do barco quente fazendo aula de uma matéria chata? Fizemos a nossa escolha e nunca nos arrependemos, a praia era fantástica!


6. Nada de aula enquanto estamos velejando

No Trouble Maker, as crianças tentaram fazer algumas aulas enquanto navegávamos, o que no final se mostrou totalmente inútil, vou contar uma passagem: nossos filhos tentaram duas vezes fazer aulas com o barco em movimento e ambos ficaram um pouco enjoados, não só isso, nós pais estávamos envolvidos em velejar e não podíamos acompanhar o que estava acontencendo, o que estavam realmente aprendendo. Então, no final, tivemos que gastar horas para explicar tudo de novo , ou seja, trabalho duplicado para todo mundo! O barco balança, faz barulho, não comemos bem, muitas interrupções, nada ideal para boatschooling... Na nossa experiência, enquanto navegamos, usamos o tempo para ler um livro ou curtir o ar livre, todo o resto pode ser feito na âncora.


7. O relacionamento

Afinal, ser tutor, pai e capitão do barco confunde e gera estresse em todo mundo. Não é nada fácil. Há dias em que eu posso passar o trabalho de ensinar para a Mariana, outros não e mesmo frustrado ou cansado eu tenho que estar ali para ensinar meus filhos. As vezes isso se torna tão intenso que temos que parar por um bom tempo, descansar a cabeça. Não é só isso, a discussão sobre como ensinar ou a abordagem que precisa ser usada chega ao relacionamento com o seu parceiro e pode desencadear grandes discussões. Então, esteja preparado para isso! As vezes conversar com um amigo ou um profissional pode ajudar nesses casos.


8. Vida social

Há algo que temos que falar: as crianças estão sozinhas, não há ninguém para compartilhar experiências ou, você sabe, copiar a resposta daquela prova difícil! Mesmo quando as crianças conhecem outros boatschoolers, é apenas por um breve período e não há muito o que trocar, então, é um processo de aprendizado meio solitário e, portanto, muito exigente.


9. Idioma

Se você estiver fazendo a escola na sua língua tudo será muito mais fácil, nós não estamos. Nossos filhos foram educados em inglês e nós falamos português, dar aulas em outra língua não confortavel, na escola aprendiam as palavras corretamente já nós temos que dobrar o nosso esforço e fazer o nosso melhor para ensinar em uma língua que dominamos mas não é a nossa, então, se você puder, use um idioma que você domine muito bem para ensinar seus filhos.


Algumas sugestões

Se você está fazendo boatschooling, a palavra-chave não é "planejamento", mas "flexibilidade". Seja flexível consigo mesmo e com seus filhos. Tente entender que uma bela segunda-feira pode ser o melhor dia para praia ou natação enquanto um sábado chuvoso será perfeito para mergulhar... nos livros. Tire a pressão e entenda que viemos para esse estilo de vida para sermos mais flexíveis, cuidar da nossa vida e diminuir o ritmo, isso vale também para as crianças.


Nosso método

Estamos usando o método Wolsey Hall Oxford, escolhemos esse porque não somos professores e o inglês não é nossa língua mãe. Estar em um currículo estruturado nos ajuda a ter tudo no caminho certo, mas essa não é a única maneira de fazer boatschooling, no último verão encontramos muitos boatschoolers fazendo coisas diferentes: alguns seguem outros métodos estruturados, outros constroem seu próprio currículo com base nas orientações do país de origem e alguns seguem algum livro encontrado na internet. Também entramos em contato com pais mais tranquilos que não fazem nada por um tempo para aproveitar 100% da vida no barco.


Não há regra

Tudo depende do que você se sente confortável, ou quanto você pode pagar pelo método que escolheu. Até agora, o maior desafio no Trouble Maker é manter as crianças nos trilhos, o programa que usamos tem muitas atividades e exige muitos Gigabytes de internet, o que às vezes não funciona bem para velejadores.


Finalmente, enquanto estávamos escolhendo a vida no barco, morando no Catar, conversamos com muitas pessoas que faziam homeschooling, e descobrimos que pouquíssimas sugestões eram realmente úteis. Ao encontrar velejadores fazendo boatschooling é que entendemos como funciona e pudemos voltar e reavaliar todo o trabalho que estávamos fazendo. Então, olhe dentro da comunidade que você vai estar inserido pois faz muito mais sentido e é um atalho para a vida real.


Se quiser falar mais sobre o assunto, envie-nos uma mensagem, ficaremos muito felizes em compartilhar nossa experiência!


por pais Trouble Maker em 22/11/2021

39 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Nossa Revista de Vela

WhatsApp Image 2022-01-15 at 16.04_edite
bottom of page